Monthly Archives: July 2008

Xaile

XaileUm dos mais recentes e mais interessantes projectos musicais portugueses esteve em Barcelos para abrilhantar a XXVI Mostra de Artesanato e Cerâmica. Tratando-se de um evento onde se procuram divulgar as artes e ofícios tradicionais, a presença das Xaile enquadrou-se perfeitamente no ambiente e objectivos do certame. A música que as três intérpretes apresentam tem um caracter genuinamente tradicional, onde são revisitadas as raízes da música popular portuguesa, conjugando instrumentos tradicionais e modernos, resultando uma sonoridade bem agradável e muito interessante.

XaileAs Xaile são um trio de excelentes músicas que, além de instrumentistas (abrangendo vários instrumentos, maioritariamente tradicionais), também cantam – e muito bem! As suas vozes interligam-se harmoniosamente, enriquecendo muito as belas melodias que interpretam. São ainda acompanhadas por quatro músicos de grande nível que se encarregam dos instrumentos de base, servindo de suporte aos malabarismos vocais da Lília, da Marie e da Bia.

O.N.P. + O.J.M.

Uma orquestra sinfónica divide o palco com uma big band, num concerto que junta pela primeira vez duas formações bem conhecidas do público. Criada em 1999 com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, a
Orquestra Jazz de Matosinhos (OJM) tem vindo a afirmar-se como uma das
formações mais dinâmicas do jazz português actual e a única no país com
formação permanente e actividade regular. Sob a direcção de Carlos Azevedo e Pedro Guedes, a OJM é constituída por alguns dos melhores músicos de jazz da região norte. A Orquestra Nacional do Porto tem feito da Casa da Música a sua residência e aí tem feito um grande trabalho de divulgação da música clássica no Norte do país.

Orquestra de Jazz de MatosinhosPrograma:

Parte I
Set de Jazz pela OJM
Leornard Bernstein: West Side Story, Danças Sinfónicas

Parte II
Duke Ellington: Night Creature, para Jazz Band e Orquestra
Rolf Liebermann: Concerto para Jazz Band e Orquestra Sinfónica

Na primeira parte do concerto, as duas formações tocaram separadamente. A OJM abriu o programa com três composições do seu repertório, "BJO" e "Does It Matter", de Carlos Azevedo, e "Jamiro", de Pedro Guedes. O concerto prosseguiu com a ONP e as "Danças sinfónicas de West Side Story", uma suite orquestral composta a partir da música original de um dos maiores êxitos de sempre da Broadway, passando por melodias que ficaram na história do teatro musical e do cinema.

OJM + ONP - Casa da MúsicaA segunda parte é preenchida por obras dos anos 50, compostas especificamente para o conjunto dos dois tipos de formação – orquestra de jazz e orquestra sinfónica. Abre com "Night Creature", de Duke Ellington (para muitos o melhor compositor e chefe de orquestra de jazz de sempre). Segue-se o "Concerto para orquestra de jazz e orquestra sinfónica", do suíço Rolf Liebermann, compositor ligado ao mundo das orquestras sinfónica e conhecido pelo carácter multifacetado das suas obras. O Concerto de Liebermann passa por vários géneros ligados à música popular, explícitos em andamentos com títulos como "Blues", "Boogie-woogie" e "Mambo".

A junção de duas orquestras de tamanha qualidade só poderia ter um resultado: um concerto magnífico. O desconforto de ficar sentado no chão de uma bancada foi insignificante perante a qualidade do menu apresentado. Nem mesmo o trânsito incomodou minimamente e a agradável noite de Verão ficou praticamente perfeita. Numa palavra: memorável!