Ida a São Bento a pé

Depois de uma grande aventura e alguma loucura que
foi a ida a Santiago de Compostela em bicicleta, que brevemente
comentarei aqui, voltei a meter-me ao caminho. Desta vez o destino era
São Bento da Porta Aberta (Rio Caldo – Terras de Bouro), junto à Serra
do Gerês.
Inserido num grupo de 11 carapecenses, partimos pouco
depois das 5 horas da tarde. Ainda me sentia cansado quando saímos, mas
à medida que fomos andando e os músculos aqueceram, a caminhada
fazia-se melhor. A primeira dificuldade Ida a pé a São Bentoera
o Monte de São Lourenço, em Alheira, que se ultrapassou sem qualquer
dificuldade. Quase sempre por caminhos ou estradas secundárias,
seguímos até Oleiros (Vila Verde), onde fizémos uma pausa para jantar.
A paragem fez arrefecer os músculos e começaram a sentir-se as dores. A
cada paragem que se fazia, quando voltávamos a arrancar notava-se cada
vez mais o desgaste. Por volta das 5 horas da manhã, eu e o David
tomámos a decisão de não parar mais até final. Estávamos perto de Santa
Maria de Bouro e a partir daí era sempre a subir. Enquanto era a subir
estávamos a andar muito bem (e foi mais de uma hora, sempre a subir). O
pior, no entanto, estava para vir! A descida final, que demorou cerca
de 40 minutos a fazer, foi um enorme sacrifício. À medida que íamos
descendo, as dores musculares aumentavam. Foi já em  grandes
dificuldades que chegámos à igreja. Aí chegados (cerca da 7:40), depois
de agradecer ao São Bento, tomámos o pequeno-almoço e, dado que
trazíamos um grande avanço do resto do grupo, decidímos descansar um
pouco. O pior no entanto estava para vir! Depois de sentar, foi muito
doloroso voltar a andar. As pernas simplesmente não respondiam!
Em
resumo, foi uma dura jornada. Quanto ao percurso, não deu para apreciar
muito já que grande parte foi feito de noite, mas pareceu-me ter
algumas partes bem interessantes.
Depois disto, nada melhor que uns dias de descanso na calma de Penedones (Montalegre) e arredores.
 

{ Leave a Reply ? }

  1. Marleen

    O ALTcdSSIMO Jc1 FAZ JUSTIc7A NA TERRA COM A DESTRA DO CRISTO: (JR.33.2) Assim diz o Senhor que faz estas cousas, o Senhor que as forma para as ecetbelesar (Senhor e9 o seu nome): (EX.3.14) Eu sou o se1bio que me enviou a vf3s outros, (SL.33.19) para livrar-lhes a alma da morte, e no tempo da fome conservar-lhes a vida: (MT.15.10) Ouvi e entendei, (2PE.1.20) sabendo primeiramente isto: He1 meio se9culo eu me tornei escravo da liberdade do meu prf3prio Ser em Cristo, empenhado em esquadrinhar o Tratado Bedblico, no afe3 de me preparar como Guia dos Guias espirituais, para poder conduzir o povo de Deus e0 terra prometida. Tenho testado as almas nessa fe9, e muitas tere3o dificuldades em alcane7ar a releve2ncia dessa obra, dado a sua complexidade aliada e0 descrene7a reinante nessa terra page3 e sem futuro. Mas Deus e9 testemunho de que e9 com a mais pura das intene7f5es que exorto o estudo acurado da nossa bibliogeanese; porque sei que essa humanidade infiel e pervertida, je1 ne3o podere1 subsistir sem o conhecimento que Jesus nos passa atrave9s dela.(LV.17.12) Portanto, tenho dito aos filhos de Israel: (SL.58.11) Na verdade, he1 recompensa para o justo, he1 um Deus, com efeito, que julga na terra; pois e9 o Espedrito Santo que revela ao mundo o ex-segredo guardado nas 98 letras e 7 sinais dessa pare1bola:(NM.16.28) ENTc3O, DISSE MOISc9S: NISTO CONHECEREIS QUE O SENHOR ME ENVIOU A REALIZAR TODAS ESTAS OBRAS, QUE Nc3O PROCEDEM DE MIM MESMO: (MC.14.27) Todos vf3s vos escandalizareis porque este1 escrito: E CRISTO DIZ AOS HOMENS CONSCIENTES: ESTc3O VENDO QUE ESSE SER c9 MEU ESPcdRITO EM ARNALDO RIBEIRO, NAS Mc3OS DO HOMEM QUE AMA.(GL.4.16) Tornei-me, porventura, vosso inimigo, por vos dizer a verdade? (Jd3.19.4) Embora haja eu, na verdade, errado, comigo ficare1 o meu erro. (1CO.4.3) Todavia, a mim mui pouco se me de1 de ser julgado por vf3s ou por tribunal humano, nem eu julgo a mim mesmo; (1CO.4.3) porque se julge1ssemos a nf3s mesmos, ne3o seriamos julgados. (2CO.5.10) Importa que comparee7amos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo; (LS.1.15) porque a justie7a e9 perpetua e imortal: (MT.10.18) Ne3o temais os que matam o corpo e ne3o podem matar a alma; temei antes Aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo: (HB.10.30) d3ra, nf3s conhecemos Aquele que disse: A mim pertence a vingane7a, Eu retribuirei: (IS.46.13) Fae7o chegar a minha Justie7a e ne3o este1 longe: (MT.5.6) Bem-aventurados os que tem fome e sede de justie7a; porque sere3o fartos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *